Cartão de Crédito: Vantagens, Taxas, Tarifas, Fatura e Limites

Você já viu ou ouviu falar dos caderninhos de conta? Ainda hoje, pequenos comércios de bairro ainda mantêm essa prática antiga. O cliente, ao invés de pagar na hora que compra, ganha um prazo a mais e pode quitar a dívida quando receber o salário no início do mês. O nome, o valor da dívida e assinatura do comprador vão para o caderno, como uma forma bem peculiar de garantia.

Pode parecer estranho, mas foram esses caderninhos que deram origem aos cartões de crédito. No começo do século XX, alguns comerciantes passaram a conceder cartões para os cliente dignos de crédito, ou seja, de confiança.

Em 1950, foi criado o cartão mais ao molde do que conhecemos hoje. Ele continha os dados do comprador, para que esse pudesse pagar depois. Quando foi criado, ainda em papel, o Diners Club International era aceito em apenas 27 restaurantes. Mas em pouco tempo a ideia se alastrou pelo mundo todo e foi se sofisticando.

Vantagens dos Cartões de Crédito

Se um produto é tão bem aceito, certamente existem vantagens para quem o utiliza. No caso dos cartões de crédito, a lista de vantagens é bem grande:

Cartão Antigo

Um dos primeiros cartões de crédito, o Diners Club, ainda em papel

  • O comprador não precisa ter dinheiro em mãos no momento da compra para adquirir alguma mercadoria;
  • O usuário ganho um prazo maior para pagar o que comprou e tem a possibilidade de se organizar melhor financeiramente;
  • Com as novas tecnologias, o cartão se torna muito mais seguro do que o uso do dinheiro ou cheque, tanto para quem compra quanto para quem vende;
  • Os cartões oferecem programas de recompensas que podem beneficiar quem usa a forma de pagamento com frequência;
  • Outros serviços adicionais, como os seguros, também ajudam bastante, principalmente em viagens para o exterior;
  • Dependendo do cartão e da capacidade de negociação do cliente, é possível ficar livre da cobrança de anuidade e aproveitar todas essas vantagens sem taxa.

Uso do Cartão no Brasil

Uma pesquisa feita no passado recente pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) chegou a dados interessantes sobre o uso do cartão de crédito pelos brasileiros. No estudo, foram ouvidas 604 pessoas em todos as capitais do país. 77% dos entrevistados disse que possui pelo menos 1 cartão de crédito, revelando que a forma de pagamento é muito popular no Brasil.

Outro dado interessante levantado pela pesquisa foi a respeito do conhecimento dos usuários a respeito das tarifas cobrada. 79% dos entrevistaram disse conhecer o quanto pagam de anuidade, mas 72%  não sabe qual é o valor dos juros para uso do crédito rotativo. Segundo a análise de especialistas, esses números mostram que o brasileiro está mais interessado em saber o quanto vai gastar para ter o cartão do que em saber mais sobre outros custos envolvidos.

Pesquisa feita pelo SPC

Pesquisa feita pelo SPC

Com relação aos parcelamentos, os números também são preocupantes. Em 2012, a porcentagem de pessoas que parcelavam compras em mais de 10 vezes no cartão de crédito para adquirir móveis, eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos era, respectivamente, de 10%, 11% e 10%. No ano seguinte, os percentuais foram para 15%, 50% e 47%. Isso mostra que muitas pessoas estão se endividando, mesmo que não haja um planejamento financeiro por trás desse comportamento.

Entendendo as Tarifas

Como vemos, falta conhecimento e controle financeiro por parte dos brasileiros ao usar o cartão. Por isso, vamos explicar mais detalhadamente as cobranças existentes no uso da forma de pagamento:

Anuidade

Como o próprio nome indica, essa é uma tarifa anual, cobrada pela empresa que administra o cartão. Normalmente, o valor varia conforme os serviços adicionais que o cartão oferece. Ou seja, quanto maior for a quantidade de seguros, serviços de assistência e etc., mais caro custa manter o cartão. O mais comum é que a anuidade venha diluída em várias parcelas cobradas proporcionalmente a cada fatura. Além disso, não custa nada tentar negociar o valor de sua anuidade junto a operadora de cartões. Muitas pessoas conseguem descontos ou até a isenção total da anuidade dependendo do perfil de consumo ou relacionamento com o banco.

Crédito Rotativo

Quando ouvimos falar dos juros do cartão, a referência é o crédito rotativo. Essa tarifa é cobrada caso o cliente deixe pagar o valor total da sua fatura. Nessas situações, o valor não quitado é jogado para a fatura seguinte com juros bem altos: em torno dos 15% ao mês. É muito importante pagar o valor integral de sua fatura e nunca o mínimo, pois é sobre a diferença entre o valor pago e o total da fatura a qual será acrescidos estes juros altíssimos. Ao fim de um ano, poderá estar pagando até 5x mais do que devia originalmente.

Pagamento de Contas

A possibilidade de pagamento de contas com o cartão parece vantajosa, mas geralmente não é nem assim. As empresas cobram uma taxa por esse serviço, mesmo que não haja parcelamento. Esta taxa pode ser um valor fixo por cada conta ou uma porcentagem do valor total da boleta. Por isso, o melhor é evitar a oferta e pagar contas de água, luz e telefone com dinheiro nas respectivas datas de vencimento. Verifique junto ao seu banco as taxas e tenha certeza que terá dinheiro na data do vencimento da fatura, do contrário, estará trocando uma dívida de juros baratos (contas normalmente ficam na casa dos 2%) por outra muito cara.

Saque em Dinheiro

Outra cobrança que os clientes costumam desconhecer é a do saque em dinheiro. A maior parte dos cartões permite que o usuário retire nos caixas eletrônicos um parte do limite de crédito. Esse saque, no entanto, funciona como um empréstimo, com cobrança de juros e taxa por transação.

A Fatura do Cartão

Você deve estar se perguntando como é possível saber o valor de todas essas tarifas, não é mesmo? Muitas delas estão disponíveis na própria fatura do cartão. Como sempre enfatizamos aqui no blog, a fatura é uma fonte de informações preciosíssimas e deve sempre ser lida com muita atenção.

Fatura

Exemplo de fatura do cartão de crédito

Para facilitar a sua vida, listamos alguns pontos essenciais a respeito da fatura:

  • Sempre confira se as despesas constantes no boleto foram realmente feitas por você, pois o número de cobranças errôneas é impressionante;
  • Veja qual é o valor total cobrado e, de preferência, ignore o valor mínimo (porta de entrada para o crédito rotativo);
  • Observe a data de vencimento, pois o atraso no pagamento acarreta cobrança de multa;
  • Os pontos acumulados no programa de recompensas também ficam indicados na fatura. Lembre-se de verificar a validade dos pontos e mínimo necessário para o resgate;
  • Em caso de dúvidas, ligue para o telefone informado e questione sobre cobranças, tarifas ou outras perguntas que possam aparecer.

Importante: se o seu boleto não for entregue até a data de vencimento, entre em contato com a administradora o mais rápido possível para solicitar uma 2ª via ou outro meio de pagamento da conta. Muitas operadoras de cartão também disponibilizam faturas pela internet.

Limites do Cartão de Crédito

Ainda falando sobre a desinformação dos usuários, o limite do cartão é um dos assuntos que mais gera confusão. O limite equivale ao valor que a financeira está disposta a oferecer para aquele cliente. Por isso, ele é baseado em uma análise de crédito, que leva em consideração uma série de fatores, como: renda, idade, perfil de consumo e histórico de dívidas. Assim, se o seu limite é baixo ou alto vai depender dos critérios usados pela empresa ao realizar essa análise.

É possível aumentar o valor do limite? Sim, desde que a administradora considere o usuário apto a honrar dívidas naquele valor. Algo que acontece com frequência é o aumento do limite depois de algum tempo em que o cliente vem pagando as faturas em dia e gastando mensalmente valores próximos ao máximo. Se isso não acontece automaticamente, vale a pena procurar a empresa para solicitar a revisão do limite.

Outra dúvida recorrente é sobre as compras parceladas. Quando alguém compra um produto dividido, é debitado do limite o valor total da mercadoria. Assim, se o seu limite é de R$1000,00 e você compra uma geladeira de R$1000,00 em 10 vezes no cartão, todo o limite ficará comprometido no primeiro mês. Após o pagamento da fatura, será liberado o equivalente à primeira parcela, no caso, R$100,00.

Vale lembrar: alguns cartões disponíveis no mercado oferecem um limite especial para compras parceladas. Nesses casos, é preciso verificar quais são os valores para parcelamentos e compras à vista.

Mais Segurança

Como dissemos, uma das principais vantagens do cartão de crédito é a segurança. Afinal, o comprador não precisa ter em mãos o dinheiro para pagar suas compras, evitando possíveis roubos. Por outro lado, o número de fraudes envolvendo cartões é crescente, causando desconfiança em muitos consumidores.

Segurança

Chip deixa cartão mais seguro

O uso dos chips nos cartões é uma forma de evitar boa parte das fraudes. Essa tecnologia aumenta a segurança porque o chip armazena uma série de dados criptografados. Quando a transação é realizada, esses dados são cruzados com os enviados pela instituição, assegurando a veracidade do cartão. Dessa forma, fica muito mais difícil clonar um cartão de crédito.

Além dos chips, a solicitação de senhas para usar a forma de pagamento também aumenta a segurança. Antigamente, a pessoa só precisava assinar o comprovante para autorizar a compra. Assim, era mais fácil que outra pessoa comprasse com um cartão clonado ou roubado. Com as senhas, a operação só pode ser realizada por alguém que conheça o código numérico.

Ainda assim, é importante tomar alguns cuidados na hora de usar o cartão de crédito, sobretudo na internet. Primeiramente, devemos ressaltar que o cartão é um artigo pessoal, que não deve ser emprestado em nenhuma hipótese. Senhas e outros dados precisam ser mantidos em total sigilo na memória do usuário – e não anotados em papeis. Outras dicas podem ajudar:

  • Nunca informe o número do seu cartão ou outras informações por e-mail ou telefone;
  • Nas compras online, observe os mecanismos de segurança oferecidos pela loja;
  • Não deixe que o vendedor saia de perto de você com o cartão na hora de pagar;
  • Em caso de perda ou roubo, comunique a administradora rapidamente.

E tenha sempre em mente que o cartão de crédito deve ser cuidado como se fosse dinheiro. Assim como você não deixaria  um bolo de notas “dando sopa” por aí, o mesmo precisa ser feito com os dados do cartão.

Postado por Mila Silva. Veja mais cartões de crédito emitidos por: Artigos e também com características semelhantes: , , , , , , , , , , ,
RSS por email

Deixe sua opinião “Cartão de Crédito: Vantagens, Taxas, Tarifas, Fatura e Limites