Seguro Contra Perda e Roubo do Cartão de Crédito

O seguro Perda e Roubo é oferecido por grande parte das administradoras de cartão de crédito. Com esse serviço, como o próprio nome indica, o cliente fica protegido caso seu cartão seja roubado, furtado ou perdido. Mas será que vale a pena contratar esse serviço? Vamos entender melhor com esse tipo seguro funciona.

Pagamento Não Obrigatório

Para início de conversa, é necessário alertar os leitores de que o seguro contra perda ou roubo é opcional. Isso quer dizer que nenhum banco ou financeira pode, segundo os Direitos do Consumidor, cobrar pelo serviço, a não ser que o cliente o tenha contratado. Na prática, várias empresas incluem a cobrança na fatura. Os consumidores desavisados acabam pagando a taxa por falta de conhecimento.

Seguro Perda e Roubo

Seguro Perda e Roubo

Funcionamento do Seguro

De acordo com especialistas, o seguro pode ser considerado desnecessário. Isso porque a empresa que administra o cartão é responsável por garantir a segurança do seu cliente em todas as operações. Se o cartão foi perdido ou roubado, outra pessoa não poderá fazer compras em nome do titular, seja porque há uma senha de uso ou pela conferência da assinatura no comprovante de compra.

Vale a Pena?

Dependendo do banco, a cobrança pelo seguro perda e roubo pode variar entre R$3 e R$11. Pode parecer pouco, mas, se levarmos em conta que o serviço cobre algo que já está garantido em lei, a contratação não vale a pena. Essa modalidade de cobertura só compensa quando o contrato inclui algum tipo de proteção para além das definidas no Código de Defesa do Consumidor.

Dica: quando sua próxima fatura chegar, observe que o extrato inclui a cobrança do seguro perda e roubo. Em caso afirmativo, entre em contato com a administradora imediatamente e solicite o cancelamento do serviço.

Postado por Mila Silva. Veja mais cartões de crédito emitidos por: Artigos e também com características semelhantes: , , , , ,
RSS por email

Deixe sua opinião “Seguro Contra Perda e Roubo do Cartão de Crédito