Crédito Pessoal Para Pagar a Fatura do Cartão

Quem acompanha o nosso blogs já deve ter lido que o uso de crédito pessoal para quitar dívidas do cartão de crédito pode valer a pena. Esse procedimento é chamado de consolidação do cartão e deve ser sempre considerado por quem está prestes a se endividar com o pagamento da fatura. Por isso, hoje vamos falar um pouco mais sobre essa alternativa e quando ela se torna vantajosa.

Devo pegar um empréstimo?

Pegar um empréstimo, como dissemos, pode ser uma boa solução, dependendo da suas alternativas. Nesse caso, é necessário que os juros do crédito tomado sejam menores que os cobrados pela administradora do cartão. Outras possibilidades, no entanto, costumam ser mais viáveis, como, por exemplo, pegar dinheiro emprestado com um parente ou amigo. Assim, você não envolve instituições financeiras e pode pagar menos, além de fugir da burocracia. Quem tem dinheiro guardado na poupança não deve pensar duas vezes antes de usar o valor para consolidar a dívida do cartão, já que os juros de rendimento da caderneta são muito menores que os praticados pelas financeiras. Em resumo, o mais importante é comparar essas tarifas e escolher o que for mais em conta.

Bons motivos para pegar um empréstimo

Vantagens e Desvantagens do Crédito Pessoal

Vantagens e Desvantagens do Crédito Pessoal

Por mais que o empréstimo pareça ruim, devemos sempre pensar no juros. Atualmente, os encargos do crédito pessoal ficam entre 3% e 4%, enquanto os do cartão costumam ultrapassar os 10%. Dessa forma, devemos trocar a dívida cara por uma dívida mais barata. Além disso, existem outros bons motivos para preferir o empréstimo:

Centralização das Dívidas

Se o acúmulo de dívidas envolve mais de um cartão de crédito ou outras opções caras, como o cheque especial, vale a pena centralizar o pagamento com o crédito pessoal. Assim, ao invés de pagar várias prestações em datas diferentes, você tem a possibilidade de quitar tudo de um única vez com maior planejamento.

Flexibilidade de Negociação

Ao tomar um empréstimo, você também tem a possibilidade de se organizar financeiramente, criando um orçamento para o pagamento das dívidas. A ideia é optar por um prazo mais longo para quitar o crédito, com juros menores e parcelas que não comprometam muito da sua renda. Essas escolhas favorecem o pagamento sem novos endividamentos.

Planejamento Financeiro

Com esses comentários, você já deve ter notado que não basta simplesmente pegar um empréstimo para pagar o valor total da fatura. Mais do que isso, é necessário estabelecer um plano de ação que envolve redução de gastos, mais organização financeira e, sobretudo, medidas para evitar dívidas futuras.

Quando o empréstimo não é a melhor opção?

Ainda que existam todos esses argumentos em favor do crédito pessoal, há também situações em que pegar um empréstimo pode ser bastante prejudicial. A questão central aqui é entender que essa alternativa só cabe quando o pagamento do cartão fica realmente inviável, seja pelo acúmulo de dívidas ou pela ocorrências de emergências financeiras.

Dívida Barata

Se a fatura do cartão não é tão alta e você tem condições de quitá-la apertando o cinto naquele mês, o empréstimo não é uma boa opção. Vale lembrar também que em situações menos críticas compensa mais atrasar o pagamento que recorrer ao crédito rotativo. Havendo a possibilidade de quitar a conta no início do mês seguinte, atrase e efetue o pagamento com o recebimento do salário, mas não se esqueça que esse tipo de medida não pode de maneira alguma acontecer com frequência.

Desorganização Financeira

Comentamos antes da importância de se estabelecer um planejamento financeiro ao tomar um empréstimo para este fim. Isso quer dizer que o crédito não vale a pena quando o descontrole financeiro é constante, ou seja, se a pessoa não se compromete realmente em solucionar o problema. Na verdade, pessoas com esse perfil só conseguem acabar com as dívidas quando mudam profundamente os hábitos relacionados ao dinheiro.

Alternativas Vantajosas

As alternativas que já mencionamos – uso da poupança, empréstimo com pessoas próximas ou venda de um bem – são mais vantajosas que o credito pessoal. Por isso, é muito importante avaliar todas as opções, comparar os custos envolvidos e escolher o que for melhor para o seu bolso. Ao optar pelo crédito com bancos e financeiras, procure pelas melhores taxas. Uma boa dica é tentar o crédito consignado, que tem hoje as menores taxas do mercado. Por outro lado, empréstimos para negativados são mais caros que os juros do cartão.

Postado por Mila Silva. Veja mais cartões de crédito emitidos por: Artigos e também com características semelhantes: , , , , , ,
RSS por email

Deixe sua opinião “Crédito Pessoal Para Pagar a Fatura do Cartão