Como Calcular a Dívida do Cartão

Você sabe quanto você paga quando deixa de pagar o valor total da fatura do cartão de crédito? Uma das causas principais para o endividamento com o cartão é justamente a falta de conhecimento sobre esses custos. Curiosamente, muitos brasileiros acham que, ao optar pelo pagamento mínimo, eles estão apenas empurrando a dívida para frente. No entanto, os juros sobre esse tipo de transação estão entre os mais altos do mercado.

Para evitar a desinformação, hoje explicaremos como calcular a dívida com o cartão. Fique de olho na explicação para não cair nas armadilhas do crédito rotativo.

Juros do Crédito Rotativo

Existem basicamente dois tipos de dívida com o cartão: o não pagamento da fatura e o pagamento do valor mínimo. Quando o cliente simplesmente não efetua o pagamento, ele pode ser cobrado e ter o nome inserido nos cadastros negativos, como SPC ou Serasa. Enquanto o valor não for quitado, será cobrada multa por atraso e juros de mora sobre o valor da dívida.

Já nos casos em que o cliente opta por não pagar o valor total da fatura, a dívida é “regularizada”. Isso quer dizer que o nome do usuário não fica sujo e ele pode pagar o que não pagou no próximo mês. Esse serviço é chamado de crédito rotativo. Na teoria, esse tipo de solução pode parecer mais econômica, porém os juros para o crédito rotativo são altíssimos.

Na média, os bancos cobram 10% ao mês de juros pelo serviço. Se houver atraso, será cobrado também 2% de multa e 1% de juros de mora. Olhando assim pode parecer pouco, mas a somatória de cobranças torna a dívida quase impagável, principalmente se você continua utilizando o cartão no mês seguinte.

Dívida no Cartão

Dívida no Cartão

Exemplo de Cálculo da Dívida

A título de exemplo, vamos imaginar uma fatura cujo valor total seja R$1500. No entanto, o usuário do cartão estava passando por dificuldades e não conseguiu pagar a dívida na data de vencimento. Ele optou, então, pelo pagamento mínimo no valor de R$300, deixando os R$1200 restantes para pagar no mês seguinte.

Se pegarmos a média de 10% ao mês de juros no crédito rotativo, isso significa que serão cobrados R$120 a mais somente pelo uso do serviço. A multa de 2% pelo atraso no pagamento ficaria em R$24 o os juros de mora de 1% custariam R$12. Dessa forma, somando todos os encargos teríamos: 120 + 24 + 12 = 156. Ou seja, o cliente teria que arcar no mês seguinte com R$1356, sendo que R$156 equivalem apenas a tarifas.

Caso o nosso endividado tenha continuado a utilizar o cartão (enquanto não havia quitado a dívida) e suas despesas naquele mês foram de R$1000, o valor total da fatura será R$2356. E se ele não conseguiu pagar os R$1500 da fatura anterior, será que conseguirá quitar uma cobrança bem maior? Esse é o grande problema da dívida. Ela se acumula e vira uma bola de neve.

Dica Útil

Se você  não tem dinheiro para pagar a fatura do cartão, pode valer mais a pena pegar um empréstimo ou mesmo atrasar o pagamento. O ideal é não usar o cartão de crédito até que a dívida seja quitada para que os débitos não se acumulem. Como podemos ver no cálculo acima, os juros do crédito rotativo são muito altos e tornam a dívida cada vez mais pesada para o bolso.

Se você tem problemas para pagar a fatura do cartão com frequência, talvez seja hora de repensar o uso dessa forma de pagamento.

Postado por Mila Silva. Veja mais cartões de crédito emitidos por: Artigos e também com características semelhantes: , , , , , ,
RSS por email

Deixe sua opinião “Como Calcular a Dívida do Cartão